quinta-feira, 10 de novembro de 2011

A TEMPESTADE, JESUS E OS DISCÍPULOS.



Mateus 14: 22-32
E logo ordenou Jesus que os seus discípulos entrassem no barco, e fossem adiante para o outro lado, enquanto despedia a multidão. (23) E, despedida a multidão, subiu ao monte para orar, à parte. E, chegada já à tarde, estava ali só. (24) E o barco estava já no meio do mar, açoitado pelas ondas; porque o vento era contrário; (25) Mas, à quarta vigília da noite, dirigiu-se Jesus para eles, andando por cima do mar. (26) E os discípulos, vendo-o andando sobre o mar, assustaram-se, dizendo: É um fantasma. E gritaram com medo. (27) Jesus, porém, lhes falou logo, dizendo: Tende bom ânimo, sou eu, não temais. (28) E respondeu-lhe Pedro, e disse: Senhor, se és tu, manda-me ir ter contigo por cima das águas. (29) E ele disse: Vem. E Pedro, descendo do barco, andou sobre as águas para ir ter com Jesus. (30) Mas, sentindo o vento forte, teve medo; e, começando a ir para o fundo, clamou, dizendo: Senhor, salva-me! (31) E logo Jesus, estendendo a mão, segurou-o, e disse-lhe: Homem de pouca fé, por que duvidaste? (32) E, quando subiram para o barco, acalmou o vento.
O texto bíblico em questão narra o milagre de Jesus ter andado sobre as águas do mar da galileia. Neste momento Cristo tinha acabado de finalizar um de seus discursos que foi seguido de uma fantástica multiplicação de pães e peixes, e que alimentou uma multidão de quase cinco mil homens sem contar mulheres e crianças. Tendo realizado esta proeza ordenou aos seus discípulos que se retirassem do local para o outro lado do mar, o que estes não contavam era com a mudança brusca do clima. Quando estavam em alto mar começou a soprar um vento forte e contrário, e então, se acharam sozinhos sem saber o que fazer para resolverem a tão inesperada e destruidora situação.
Enquanto em alto mar os discípulos se esgotavam lutando contra o vento e as ondas que sacudiam o barco a ponto de afundá-lo, Jesus estava em um profundo momento de oração no monte. O vendo começou a soprar ao cair da tarde e durou até a madrugada. Dentro deste tempo, inserido nesta situação de luta algumas lições precisam ser exauridas deste fato para as nossas vidas.
PRIMEIRA LIÇÃO:

Obediência a Deus não te isenta de tempestades.

“(22) E logo ordenou Jesus que os seus discípulos entrassem no barco, e fossem adiante para o outro lado, enquanto despedia a multidão”.
Perceba no verso acima que os discípulos não tomaram a atitude de passar para o outro lado do mar por conta própria, na verdade eles foram ordenados por Jesus para irem para o outro lado enquanto a multidão seria despedida. Mesmo obedecendo à ordem de Cristo os discípulos entraram numa grande tempestade (dificuldade).
Não foi diferente na vida de nenhum dos apóstolos ou na vida de nenhum dos servos de Deus do passado. Eles por amor a Cristo e a sua vontade passaram por inúmeras tribulações e tempestades.
Todos que se curvarem a obedecer à vontade de Deus e suas ordens serão provados e submetidos a grandes dificuldades, porque elas serão treinadores de Deus para aumentar a sua fé e a sua estrutura espiritual trazendo ao seu coração uma maior maturidade.
“E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz à paciência, e a paciência a experiência, e a experiência a esperança. E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado” (Romanos 5.3-5).
Saiba que todas as lutas e tempestades que você está são oportunidades para que a paciência, a experiência e a esperança de Deus sejam desenvolvidas em seu coração. Deus está no controle de tudo, não se deixe levar pelas adversidades e palavras contrárias, Deus tem o melhor para a sua vida por isso ele tem permitido tudo isso acontecer, ele preciso de pessoas fortes e as tempestades são concretos de Deus para a sua coluna espiritual, a fim de deixar a sua casa bem firmada e sem vacilar.
SEGUNDA LIÇÃO:

Mesmo que pareça você não está só.

(23) E, despedida a multidão, subiu ao monte para orar, à parte. E, chegada já à tarde, estava ali só. (24) E o barco estava já no meio do mar, açoitado pelas ondas; porque o vento era contrário;

Os discípulos podiam ter se revoltado, reclamado, dito horrorosos palavrões, enfim, podiam ter se decepcionado com Jesus por terem entrado numa fria por sua causa como muitas pessoas de nossos dias fariam. Mas não o fizeram, e creio que não o fizeram porque os textos que tratam desta mesma passagem não nos informa nada parecido, e sei que se tivessem feito a bíblia não esconderia suas atitudes, afinal, a escrituras não coloca os erros de nenhum dos seus personagens para debaixo do tapete da história, pelo contrário os expõe para que fique de exemplo.

Agora em alto mar e com as ondas a bater contra o barco os discípulos sabiam que estavam sozinhos; somente eles, as ondas, o vento e agora a escuridão da madrugada angustiante. Onde estava Jesus? Pela informação do texto, ele estava no monte orando. O evangelista Marcos coloca um detalhe que Mateus não coloca, aquele informa que Jesus estava no monte, mas que do alto monte ele estava a avistando os discípulos em alto mar e dentro da tempestade.

“E vendo que se fatigavam a remar, porque o vento lhes era contrário, perto da quarta vigília da noite aproximou-se deles, andando sobre o mar, e queria passar-lhes adiante” (Marcos 6.48).

Esta informação é fantástica, sim muito forte mesmo... Maravilhoso! A presença física de Jesus não estava com os discípulos, mas a sua atenção estava voltada para eles, o que me assegura a dizer que eles não estavam sozinhos naquela tempestade, e mais, Jesus sabia que eles estavam cansados de remar, ou seja, ele sabia também quais eram suas capacidades para suportar aquela situação, por isso permitiu o vento contrário até o momento de sua intervenção.

Você também precisa saber que mesmo se achando só nesta luta o Pai celestial nunca tirou os olhos de sua vida. Você é alvo da atenção de Deus e quando suas forças estiverem no limite à intervenção de Jesus virá ao seu favor. Você não será envergonhado, o vexame não lhe alcançará, fique calmo, creia, espere mais um pouquinho, continue fiel e serás abençoado pela mão do Todo-poderoso.

TERCEIRA LIÇÃO:

Deus é Deus de surpresas em suas intervenções.

(25) Mas, à quarta vigília da noite, dirigiu-se Jesus para eles, andando por cima do mar. (26) E os discípulos, vendo-o andando sobre o mar, assustaram-se, dizendo: É um fantasma. E gritaram com medo.

A intervenção de Jesus na tempestade foi magnifica, quando ninguém esperava mais nenhuma porta de escape ele apareceu e trouxe bonança e livramento para os seus. Mas na quarta vigília da noite? Isso, exatamente entre as 03:00 e 04:00 horas da manhã ele apareceu efetuando um grande milagre. Você lembra que o barco ao “cair da tarde” já estava açoitado pelas ondas porque o vento era contrário? Isso indica que a tempestade começou aproximadamente por volta das 18:00 horas quando o sol começa a declinar, se fizermos os cálculos veremos que os discípulos ficaram no meio da tempestade por volta de 10 horas  remando contra o vento e tentando manter o barco em seu curso. Não sei como tudo isso aconteceu porque não temos muitas informações, mas posso entender que estavam no seu limite de forças físicas, psicológicas e emocionais quando Jesus apareceu. Para completar o desespero, ao verem Jesus se agarraram a suas crenças passadas e se apavoram pensando que estavam vendo um fantasma, o que indica que não acreditavam mais em saída alguma para aquele momento. Foi nesta hora que chegou a intervenção Divina, Deus é um Deus de surpresas e quando não houver mais portas, forças, alternativas e ajuda humana Ele lhe enviará a sua providência. Você não será tragado pelas ondas deste mar, o vento contrário não te afastará do porto que Deus determinou para a sua história. Creia, Ele virá ao teu favor e surpresa lhe fará.

QUARTA LIÇÃO:

A tempestade é uma porta que se abre para experiências.

(27) Jesus, porém, lhes falou logo, dizendo: Tende bom ânimo, sou eu, não temais. (28) E respondeu-lhe Pedro, e disse: Senhor, se és tu, manda-me ir ter contigo por cima das águas. (29) E ele disse: Vem. E Pedro, descendo do barco, andou sobre as águas para ir ter com Jesus.

Logo a pós ao pavor que os discípulos sentiram ao acharem que se tratava de um fantasma andando sobre as águas Jesus se identifica, e afoitamente Pedro pede uma comprovação de sua verdadeira identidade. Pedro acreditava que se fosse o “Senhor mesmo” ele também poderia andar sobre as águas. Jesus chamou a Pedro e ele saindo do barco começou a andar sobre as águas em direção ao Mestre conhecendo algo que nunca imaginou conhecer, tendo uma experiência que jamais sonhou. Bendita tempestade, pode ter exclamado Pedro no dia seguinte. Porque por causa dela ele pode ter uma forte e incomparável experiência com o poder de Deus sobre as leis da natureza, e mais, ficou registrado para sempre que além de Cristo somente Pedro andou sobre as águas.

Amigo você precisa compreender que as suas lutas, suas tempestades são portas de Deus para que seu poder seja invocado e experiências sobrenaturais alcance você e seu lar. Experiências que serão somente suas e de mais ninguém, Deus tem mistérios para revelar exclusivamente a você. Busque em Deus entender os propósitos de cada vento e tempestade que se levantam em sua vida, eles são portas que se abrem para novas experiências.

QUINTA LIÇÃO:

Só Deus sustenta o homem em suas limitações.

(30) Mas, sentindo o vento forte, teve medo; e, começando a ir para o fundo, clamou, dizendo: Senhor, salva-me! (31) E logo Jesus, estendendo a mão, segurou-o, e disse-lhe: Homem de pouca fé, por que duvidaste? (32) E, quando subiram para o barco, acalmou o vento.
As experiências nos tornam pessoas mais maduras, porém elas nos dão outra grande lição. Quando o apóstolo Pedro começou a andar sobre as águas as limitações humanas começaram a dar as caras dentro da dimensão do sobrenatural, perceba que mesmo vivenciando o poder de Deus e andando sobre o mar seus sentidos lhe comunicaram o forte vento que soprava. Talvez você pergunte. Mas o vento já não estava soprando mesmo dentro do barco? Com certeza estava, mas a questão é que enquanto você está dentro do barco seus pés sentirão o chão do barco, suas pernas e parte do corpo estarão envolvidos por uma suposta proteção de madeira que lhe comunicam segurança e apoio. Dentro do barco ainda há possibilidades de segurar em algo que seja visível e palpável, em algo que seja do nosso mundo físico, a madeira. Quando você sai de dentro das estruturas naturais (o barco) e passa para o palco do sobrenatural (o mar), você deve entender que suas limitações devem estar sujeitas a soberania de Cristo porque se não estiverem entregues a Ele suas forças sucumbirão e sua fé vacilará assim como a fé de Pedro.

Mesmo obtendo grandes resultados em sua vida, em seu ministério e muitas experiências com Deus você ainda é humano e precisará das mãos de Cristo quando estiver afundando nas águas desconhecidas das adversidades. Lembre-se sempre, Cristo é a razão de todas as coisas e você não é nada sem ele. Somente Cristo pode transformar o fraco em forte ou mesmo dar ao fraco a sua força para prosseguir na caminhada e não ser engolido pelas profundas águas do mar da vida. Só Jesus pode erguer as mãos e levantar Pedro quando estava afundando, porque somente suas mãos são capazes de sustentar o homem cheio de falhas, erro, debilidades e limitações. Todas as nossas conquistas e honras sevem ser tributadas a Cristo, porque ele é tudo em todos.

A Jesus tributo toda honra, toda glória e toda a adoração hoje e sempre.



Davi Vianna
“Voz de Deus para esta geração”.

Um comentário:

  1. Obrigado por esta palavra que nos passa da parte de Deus.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

VÍDEOS - CANAL DE BENÇÃO.

BIOGRAFIA

Minha foto
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brazil
Natural de Serrolândia - BA. Filho de Maria Alcione e Genival O. Santos. O conferêncista Davi Vianna têm sido um proféta de Deus para esta geração. Tem ministrado as escrituras com forte zelo e eficácia no poder do Espírito Santo. Muitas almas estão se rendendo a Cristo, sendo libertas, restauradas, batizadas no Espírito Santo e recebendo o poder transformador da palavra. Casado com Michele Vianna, atualmente é pastor auxiliar da igreja Assembleia Deus em Colégio - Ministério Missão Vida / RJ. Igreja presidida pelo pastor Otoni de Paula Jr.